segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

É Natal, é Natal mas não abusem...


 
É melhor saber a verdade. E a verdade é simplesmente esta.

Será que a troika também impôs limites à criatividade? Esperemos que não!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Social Media 2012


O meu colega Fernando Rente da Identidade Digital tem toda a razão quando refere aqui que a comunicação online não pode viver jamais como uma “ilha” isolada no “arquipélago da comunicação”. Todas as disciplinas devem estar devidamente integradas e articuladas.

Acrescento apenas um novo ponto que me parece que irá também marcar o próximo ano nesta área: a importância dos social media em outros departamentos dentro das empresas. Concretamente: customer care, e-commerce, recursos humanos, sistemas internos, área jurídica, entre outros. Acredito que existe aqui muito espaço de crescimento, o que contribuirá certamente para aumentar a relevância desta disciplina juntos dos CEO’s. Mas para isto será necessário existir conhecimento e visão.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

O Marketing como motor do recém-criado Programa Estratégico para o Empreendedorismo e a Inovação



Ontem, o Conselho de Ministros aprovou a criação do Programa Estratégico para o Empreendedorismo e a Inovação, designado por + E + I. Trata-se de uma excelente medida para estimular a criação de emprego e o crescimento do país. Contudo, o sucesso desta medida está dependente do apoio que for dado às empresas ao nível do Marketing e Comunicação. Sem esta sensibilidade e conhecimento será de todo impossível afirmar projectos e marcas nacionais à escala global.

Como poderão ler aqui há muito que defendo uma valorização do Marketing e Comunicação para revitalizar o tecido empresarial português e fomentar o empreendedorismo.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Mente aberta


Como já referi anteriormente, um profissional de Comunicação e Relações Públicas tem de ser uma pessoa curiosa e atenta a tudo o que o rodeia. Mais do que algo forçado, terá de estar no ADN da pessoa, podendo, obviamente, ser treinado e aperfeiçoado ao longo do tempo. Com naturalidade, devemos adoptar esta postura não só de 2ª a 6ª, das 9h às 18h, pois é fora do ambiente de trabalho e em contacto com outras realidades que "bebemos" ideias e informações que podem ser úteis para os projectos que gerimos.

Por isso, se me permitem um conselho: não sejam selectivos e vivam a vida ao máximo. Leiam o Expresso mas não deixem também de ver a Casa dos Segredos (ou outros reality shows do género). Viajem e estejam atentos aos pormenores. Assistam a um concerto de música clássica mesmo que o vosso gosto musical seja mais pop/rock. etc, etc, etc. Só assim, actualizados e com uma mente aberta, poderão evoluir enquanto profissionais.          

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Portugal Inovador


A par da comunicação, interesso-me bastante por questões ligadas à inovação e ao empreendedorismo. Desta forma, e apesar das condições económicas difíceis que o país atravessa, criei este espaço para demonstrar que temos projectos e pessoas que nos devem orgulhar a todos. Portugal Inovador pretende ser uma montra para o que de melhor se faz em Portugal. Partilhe comigo casos de inovação e pioneirismo nacionais que conheça.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

7 boas razões para as empresas B2B estarem nas redes sociais

» Quando bem entendidas são excelentes ferramentas para criar conteúdos relevantes e interessantes;

» Potencia o networking;

» São canais tendencialmente muito específicos mas que contam com seguidores fiéis e participativos;

» Os comentários e as referências feitas pelos leitores em outros locais online contribuem para um melhor posicionamento – do website da empresa, por exemplo - junto dos motores de busca;

» Cada vez mais as pesquisas sobre uma empresa começa em ambiente online, nomeadamente nas redes sociais;

» Aproxima o público interno e melhora a relação entre estes;

» São fontes de informação para os media.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Desleixo ou amadorismo?



Confesso que fico perplexo quando vejo uma figura pública ser apresentada no mesmo dia na imprensa como rosto de duas marcas diferentes. Mas devo ser eu que sou demasiado picuinhas.

sábado, 15 de outubro de 2011

Redes sociais úteis no sector da Construção? Sim, é possível



Ver aqui de que forma as redes sociais podem ser úteis para as empresas de Construção. Uma excelente ideia para um sector que vive momentos muito difíceis em Portugal. Mas não esqueça que nunca é tarde para inovar. 

sábado, 8 de outubro de 2011

Think Different


A grande diferença de Steve Jobs para muitos outros é que ele dizia e fazia, ao contrário de outros que muito falam, mas pouco ou nada fazem.

“Here’s to the crazy ones. The misfits. The rebels. The troublemakers. The round pegs in the square holes. The ones who see things differently. They’re not fond of rules. And they have no respect for the status quo. You can quote them, disagree with them, glorify or vilify them. About the only thing you can’t do is ignore them. Because they change things. They invent. They imagine. They heal. They explore. They create. They inspire. They push the human race forward. Maybe they have to be crazy. How else can you stare at an empty canvas and see a work of art? Or sit in silence and hear a song that’s never been written? Or gaze at a red planet and see a laboratory on wheels? We make tools for these kinds of people. While some see them as the crazy ones, we see genius. Because the people who are crazy enough to think they can change the world, are the ones who do.”

terça-feira, 4 de outubro de 2011

10 razões que demonstram que o presente e o futuro da Comunicação pertence às Relações Públicas


- Criamos histórias cativantes;

- Conseguimos efetivamente envolver as pessoas;

- Estabelecemos contactos pertinentes e não intrusivos;

- Atuamos com base na verdade;

- Geramos valor e apresentamos elevado retorno numa base custo vs investimento;

- Conciliamos como ninguém os interesses das marcas com os dos seus clientes;

- Substituímos o tradicional monólogo por um diálogo vivo e relevante entre a marca e o público;

- Somos profissionais mais completos e versáteis;

- Construímos relações sólidas, duradouras e profícuas;

- Já reparou que os argumentos comerciais dos restantes players do setor da Comunicação estão cada vez mais colados às RP?

Colegas das RP: está na hora de todos nós mudarmos de atitude, arregaçarmos as mangas e irmos à luta, batendo-nos pelas nossas ideias e demonstrando que podemos ser bastante úteis às marcas. Se mantivermos o nosso profile apenas de gente simpática, jamais sairemos do nosso cantinho acolhedor mas pouco relevante no panorama da Comunicação. Sejam atrevidos, perspicazes e persistentes!   


domingo, 2 de outubro de 2011

Para o Sr. Campos

É por estas e por outras que se vendem cada vez menos jornais em Portugal. Pessoas que escrevem sobre assuntos sem o mínimo conhecimento.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Brands Like Bands


É com enorme prazer que irei participar na III Conferência Brands Like Bands, no próximo dia 21 de Outubro, no espaço BES Arte e Finança, em Lisboa. Os detalhes aqui no Facebook da iniciativa ou aqui via Meios & Publicidade.

As inscrições poderão ser feitas através dos seguintes contactos:
Telm.: 96 453 63 49 / 91 188 79 93

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A importância do media training


Um bom argumento para convencer o seu director/cliente a fazer media training.

(Obrigado ao meu colega André Martins por me ter dado a conhecer este hilariante vídeo)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O desemprego nos profissionais de Comunicação e Relações Públicas


Como consultor e ator nesta área este é um tema que me preocupa bastante. São cada vez mais os profissionais sem emprego. Com ou sem experiência este é um problema transversal a todo um setor que apesar da sua performance nos últimos anos (que considero positiva), não consegue assimilar todos os profissionais. Na minha opinião, a minimização desta situação passa por alterações a três níveis:

Ensino
» Uma menor oferta de cursos e formações na área;
» Programas curriculares adaptados à realidade e com uma forte componente prática (no mínimo 60 por cento);     
» Professores que não façam do ensino a sua principal atividade profissional. É fundamental ter experiência de campo;
» Valorizar e estimular uma cultura empreendedora;
» Alunos com uma perceção real do que é a Comunicação;

Perfil dos profissionais
» Desejar superar os limites;
» Procurar ver sempre o outro lado;  
» Ser competente, rigoroso e exigente;
» Irreverência;
» Estar atualizado;
» Investir no conhecimento;

Empregadores
 » Ética e profissionalismo;
» Honestidade e transparência;
» Desejar criar valor;
» Arrojo;
» Determinação;
» Conhecimento e foco no negócio.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Ir para as redes sociais com outra tranquilidade


A Identidade Digital* (ID), consultora do grupo Guess What PR para a área das redes sociais, marketing digital e relações públicas online, lançou hoje um inovador serviço de social media management, no qual o cliente paga apenas em função dos resultados obtidos.

O retorno das campanhas é, posteriormente, avaliado, seguindo um conjunto de métricas quantitativas e qualitativas definidas conjuntamente pela ID e pelo cliente no arranque do projeto. A evolução da comunidade online, a interacção e dinamismo da mesma nos canais da insígnia, o teor das mensagens dos fãs, assim como o impacto de campanhas online na performance comercial da marca são alguns dos critérios que poderão entrar na “equação digital”.

“As redes sociais são reconhecidamente um território de influência que as marcas querem ganhar. No entanto, pela indisponibilidade de
know-how
humano ou recursos financeiros, muitas delas acabam por não entrar neste universo ou fazem-no de forma errada, sem uma estratégia sólida e bem desenvolvida”, refere Fernando Rente, partner da ID.

Com o serviço, a Identidade Digital tem como objetivo partilhar o risco e o sucesso dos projetos com os clientes e demonstrar que o investimento nas redes sociais, ao ser feito de uma forma estratégica, gera um importante retorno para a marca.


*Empresa da qual sou partner

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

O Governo e a comunicação das medidas de austeridade



São muitos os “notáveis” que têm criticado nos últimos dias as mais recentes medidas de austeridade. A par disto surgem também críticas sobre a forma como o Governo tem comunicado estas medidas. A esmagadora maioria aponta a falta de informação e clareza como os principais problemas.

Tal como já tinha referido aqui em Junho passado, o sucesso e a credibilização do atual Governo passará por uma comunicação clara, verdadeira e objetiva. Contudo será de todo impossível evitar as futuras contestações sociais. Não existe consultor ou técnica que valha. Agora o que o Governo poderá fazer será reduzir o impacto destes movimentos demonstrando regularmente o que está a ser feito e o que é necessário ainda fazer para sair desta crise profunda. É imprescindível que o Governo nunca abdique da pedagogia, principalmente numa fase tão sensível e conturbada como a que vivemos atualmente.      

Deixo aqui uma dica: todos os anúncios relativos a aumentos de preços e carga fiscal serem apresentados publicamente como um lead de uma notícia, respondendo às cinco perguntas fundamentais: Who? What? Where? When? Why?

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Um bom pio sim senhor


Tal como o Rui, subscrevo também este post do Rodrigo. Deixo ainda uma questão: Porque é que os jornalistas cometem erros em simples transcrições de comunicados enviados pelas consultoras de comunicação?

sábado, 27 de agosto de 2011

Jornalismo de WC



Este caso vem denunciar uma situação há muito existente nos media nacionais. É espantoso que não exista nenhuma entidade que acabe de vez com estes cambalachos jornalísticos. Tantos são os casos… Pode ser que a crise ajude a acabar com estas farsas e Portugal se torne num país positivo.       

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Comunicação Digital



Conselhos para aqueles (muitos) profissionais que lutam arduamente, e muitas das vezes sozinhos (autênticos heróis), por um futuro mais digital nas suas empresas. Ver aqui algumas dicas.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Relações Públicas - Reflexões de Agosto



O mercado das Relações Públicas está a crescer e continuará a crescer nos próximos anos. A taxa de crescimento será tão mais elevada quanto maior for o grau de inovação e a capacidade de gestão dos seus profissionais.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Relações Públicas - Reflexões de Agosto


É doentia a quantidade de informação debitada por algumas pessoas no Facebook defendendo determinada marca ou posição. Para lá de não influenciarem ninguém com este tipo de atitude, ainda conseguem ficar rotulados como “o(a) chato(a) do Facebook”.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Relações Públicas - Reflexões de Agosto


Existem muitas pessoas que ainda não perceberam que sites, blogs, Facebook, Twitter ou Linkedin são canais de comunicação e interação diferentes. Cada um tem as suas próprias especificidades, o que exige um tratamento diferenciado a diversos níveis: abordagem, linguagem, dinâmicas de ativação, regularidade na introdução de novas informações, timings de resposta, entre muitos outros aspetos relevantes.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Surpresa do dia


Recebi há pouco um email de uma empresa – que mal conheço - na área do branding e ativação de marcas a informar que já tem página de Facebook. É caso para dizer: Uauuu!! Que gente inovadora!
 
Como se isto não bastasse ainda me convidaram para fazer o chamado “jeitinho do Like” na página. Obviamente que fui logo… almoçar.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Redes Sociais - Entrevista RTP




Hoje tive a oportunidade de ser entrevistado para a RTP sobre comunicação nas redes sociais. Conheçam a minha vertente de publicitário :-)

sexta-feira, 24 de junho de 2011

A comunicação no governo de Passos Coelho



Um dos  pilares para o sucesso da recente equipa governativa passará pela comunicação. Já o seria em condições normais, mas mais fulcral será na atual conjuntura de crise. Para envolver as pessoas e diminuir os protestos sociais as principais medidas terão de ser bem comunicadas, o que implicará honestidade, clareza e coerência no discurso. O governo de Pedro Passos Coelho terá de inverter a imagem do anterior executivo onde a comunicação foi percecionada pelos portugueses como algo meramente propagandístico e manipulador da opinião pública.
A essência da boa comunicação é a verdade e somente através desta será possível gerar confiança numa dose suficiente para motivar as pessoas a alterarem atitudes e comportamentos. Para isso será fundamental traçar uma estratégia de comunicação que seja clara para toda a equipa governativa, onde todos estejam envolvidos e devidamente alinhados. Apenas assim conseguirão ganhar credibilidade e ser bem-sucedidos no dia-a-dia com a mínima contestação possível. As pessoas não suportarão mais trapalhadas e o tão famoso na política “diz que disse”.
O governo terá de ser uma orquestra onde não poderá existir qualquer instrumento desafinado sob pena de arruinar a performance dos restantes elementos. Para isso é fundamental encontrar um bom maestro. De acordo com as últimas notícias que vieram a público já foram recrutados alguns jornalistas para a nova equipa de comunicação do governo. Na minha opinião serão elementos importantes e válidos mas que não terão a capacidade de ocupar o tal lugar supremo de maestro. Este não poderá ser um mero assessor de imprensa. É-lhe exigido uma visão mais abrangente da comunicação, com pensamento estratégico e conhecimentos que vão muito além do simples jornalismo de terreno. O tempo encarregar-se-á de me dar ou não razão.

terça-feira, 21 de junho de 2011

segunda-feira, 20 de junho de 2011

50 Segredos de Coaching para Portugueses

Já está à venda o mais recente livro da minha amiga Maria Duarte Bello, pessoa que muito prezo e uma das mais reputadas profissionais em Portugal na área do Coaching e Gestão de Imagem. Uma leitura a não perder, especialmente para quem pretende melhorar a sua vida quer do ponto de vista pessoal como profissional.  

domingo, 19 de junho de 2011

Universidade do Minho


Foi com enorme prazer que estive, na passada 5ªfeira, na Universidade do Minho a participar numa aula de Mestrado em Ciências da Comunicação. Tive a oportunidade de dar a minha visão das Relações Públicas e esclarecer algumas questões sobre o trabalho diário numa consultora de comunicação.

Depois da aula seguiu-se ainda um excelente jantar e uma saída à animada noite de Braga. Venham mais convites destes!

Aproveito ainda para fazer um especial agradecimento à Prof.ª Teresa Ruão, docente na Universidade do Minho, pela extrema simpatia com que me recebeu.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Trabalho académico



Tive oportunidade de responder a algumas questões para um trabalho universitário intitulado "As Relações Públicas são ou não prejudiciais para a democracia?", no âmbito da disciplina Estratégias de Comunicação II, no ISLA de Gaia. Ao João Rodrigues, autor da investigação, votos de sucessos académicos e profissionais. 

O trabalho poderá ser lido aqui. (Já lá vai o tempo em que iamos encadernar o trabalho no intervalo antes da apresentação!)


domingo, 12 de junho de 2011

Diogo Vasconcelos


Mais uma excelente entrevista da Anabela Mota Ribeiro, no Jornal de Negócios. Esta semana o convidado foi Diogo Vasconcelos a trabalhar na Cisco há 4 anos, em Londres. Deixo aqui as suas principais reflexões que, mais do que levar-nos a pensar, deveriam levar-nos a agir definitivamente. 

“A cultura política dominante em Portugal é uma cultura de condicionamento ao sentido de risco e de aventura”

“As pessoas não devem ser consumidores passivos mas cidadãos ativos na construção do seu destino e do destino coletivo”
 
“A inovação acontece pela colisão de diferentes conhecimentos e experiências”

“Só uma nova vaga empreendedora pode levar Portugal a sair desta situação de desemprego galopante”

“O grande perigo de Portugal é ficar como a Itália, em que há uma emigração maciça porque o país virou um gerontocracia: as pessoas estão limitadas por quem conhecem e não pela competência do que fazem”

quinta-feira, 9 de junho de 2011

sábado, 4 de junho de 2011

Movimento Esperança Portugal e o impacto dos debates televisivos


Confesso que estou curioso para saber qual o resultado de amanhã do Movimento Esperança Portugal. Rui Marques, líder do MEP, esteve nos últimos dois dias nos quatro principais canais (RTP, RTP2, SIC e TVI) a debater com oito partidos diferentes, no seguimento da ação judicial interposta. Em simultâneo e em pleno horário nobre, o MEP conseguiu uma importante exposição mediática na reta final da campanha que poderá dar o carimbo de entrada de Rui Marques na Assembleia da República. Agora é só aguardar por amanhã às 20h.
  

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Alguns dos problemas atuais da política nacional


Os atores políticos não praticam o listening;


Aversão ao risco para inovar em diferentes formas de comunicação e interação com as pessoas;


Existência de um falso diálogo entre políticos e população pois há o medo da crítica e do confronto verbal;


Os discursos são centrados no “eu” e nos partidos, numa pura estratégia de caça ao voto, esquecendo as pessoas e os seus reais problemas;


Excessiva artificialidade da prática política;


Os políticos tratam as pessoas numa perspetiva top-down;


Os políticos não demonstram serem vitais à vida das pessoas.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Legislativas 2011: Partidos e candidatos vistos à minha lupa



Bloco de Esquerda – FRANCISCO LOUÇÃ
Francisco Louçã está desgastado e sem o fulgor de outros tempos;

O BE reserva-se ao papel de eterna oposição. A ausência nas negociações da Troika foi um exemplo disto mesmo;

Louçã está demasiado sozinho na frente de batalha. As vozes críticas que se ouviram nos últimos tempos dentro e fora do partido também não ajudaram;

O BE vive uma crise de identidade e objetivos. Já não é aquele partido fresco e sexy que captou muitos jovens eleitores. Falta-lhe renovação e um rumo.


 

CDU – JERÓNIMO DE SOUSA

Imagem desgastada sem capacidade de captar o voto para além dos habituais fiéis;

O discurso utilizado por Jerónimo de Sousa é obsoleto e ineficaz. Para além disto, as suas intervenções são cópias umas das outras. Não inova;

O PCP reserva-se ao papel de eterna oposição. A ausência nas negociações da Troika foi um exemplo disto mesmo. Não demonstram qualquer tipo de capacidade para ser um partido minimamente influente.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Legislativas 2011: Partidos e candidatos vistos à minha lupa


CDS-PP PAULO PORTAS

É o candidato mais bem preparado comunicacionalmente. Contudo exagera por vezes na artificialidade de determinadas ações e declarações. Vê-se que é uma imagem construída e não algo natural ou espontâneo;

Não se consegue livrar do seu passado enquanto jornalista polémico ou do caso dos submarinos quando foi ministro da defesa. São factos negativos que prejudicam a imagem que hoje pretende passar para o povo português;

É visível a sua sede por protagonismo e poder.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Legislativas 2011: partidos e candidatos vistos à minha lupa



PSD – PEDRO PASSOS COELHO

O PSD tem andado a reboque do PS (e até do CDS-PP). Tinha a obrigação de marcar a agenda mediática da campanha e não andar sempre a responder às provocações gratuitas dos outros partidos, sobretudo os de pequena dimensão;

O programa eleitoral pode estar muito completo mas não revela sensibilidade comunicacional. Quantos portugueses é que irão ler este documento do princípio ao fim? Deveria existir um resumo de 3 páginas com as principais ideias;

O PSD ainda não conseguiu passar três/quatro ideias-chave positivas que motive e dê confiança ao eleitorado para votar no partido no próximo dia 5. Independentemente de ser verdade ou não, certo é que, por exemplo, o PS está conotado como o partido que defende o estado social e o CDS-PP os interesses dos agricultores;

A grande maioria das propostas divulgadas dá azo a mal entendidos e controvérsia. Umas vezes porque são mal explicadas, outras porque o PS faz um bom trabalho de contra informação. Apesar de tudo, considero que na esmagadora maioria das situações é mais demérito do PSD do que mérito da oposição;

Pedro Passos Coelho ainda é visto, dentro e fora do partido, como o rapazinho ex-jota. Há muito que deveria ter calado internamente as vozes que continuamente criticam publicamente as suas decisões. Os portugueses vêem-no como bastante influenciável o que é péssimo para um líder e candidato a primeiro-ministro.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Legislativas 2011: partidos e candidatos vistos à minha lupa


PS – JOSÉ SÓCRATES

Apesar da argumentação utilizada é notória a inconsistência das (poucas) propostas do PS que são conhecidas;

O atribuir de culpas da atual situação do país à conjuntura internacional é uma explicação gasta em que ninguém já acredita;

A estratégia de medo que José Sócrates tem utilizado, onde os outros são vilões e ele é o herói, é primária e não ajuda a captar votos;

José Sócrates está demasiado sozinho. Seria bom aparecer rodeado de outros elementos de valor incontestável principalmente na área económica e financeira, uma vez que esta é uma pasta que claramente não domina;

José Sócrates tem diversas expressões faciais que são exageradas, demasiado agressivas e que soam a falso.

terça-feira, 17 de maio de 2011

O sucesso do Marketing



Conhecer os clientes profundamente e interagir com eles de forma objectiva, personalizada e transparente é o que dita hoje a valorização pública das marcas. O problema de muitas empresas é que pretendem matar mosquitos com balas de canhão.

As Relações Públicas podem dar um importante contributo no reconhecimento dos stakeholders, perceber quais as suas expectativas, otimizar os processos de interação e transformar todos eles em defensores acérrimos das marcas e respetivas causas.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Provocaçãozinha




No seguimento deste post, e como sei de fonte segura que o LPM é uma pessoa com um refinado sentido de humor, pergunto: então o elemento chave das Relações Públicas é a influência ou a criatividade?

terça-feira, 3 de maio de 2011

E que tal apostar em produção nacional?


No passado domingo começou na SIC o reality show Peso Pesado, a versão portuguesa do famoso The Biggest Loser. Pelo sucesso da edição internacional, excelente promoção nacional, timing do programa e audiência na estreia, este será certamente o grande programa de entretenimento do ano da televisão portuguesa. Nas últimas semanas RTP e TVI também já apresentaram os seus trunfos para o horário nobre. Todos eles adaptações de formatos internacionais, a maioria de duvidosa qualidade.

Não estará na altura, nomeadamente a RTP por razões óbvias, de inovar e apostar em formatos nacionais que possam ser comercializados em mercados externos? A produtora portuguesa beActive é um excelente exemplo que merece ser destacado pelo trabalho que tem vindo a fazer em Portugal e lá fora.

sábado, 23 de abril de 2011

A melhor Comunicação é...



... aquela que é mais natural. Nos últimos tempos, na área da Comunicação Política, temos assistido a uma elevada dose de artificialidade que são autênticos "tiros nos pés" de quem os pratica.

terça-feira, 19 de abril de 2011

PSD com toque de samba


Nas últimas horas soube-se que o PSD contratou um marketeer brasileiro para trabalhar a campanha de Pedro Passos Coelho nas próximas eleições legislativas. Mais uma vez, e como em tantas outras áreas, o “Compro o Que é Nosso” é algo que não se aplica na política nacional.

Relativamente a agências de comunicação, o PSD também foi claro dizendo que não iria contar com nenhum apoio a este nível. Assim sendo, mais dinheiro sobra certamente para croquetes e música para o povo. Resta apenas saber se teremos Tony Carreira ou Roberto Leal.

domingo, 10 de abril de 2011

Pensar fora da caixa



“Invariavelmente o pensar fora da caixa tem surgido como uma das melhores maneiras de se conseguir realmente inovar. Ou seja, os diagnósticos e as soluções evidentes servem de pouco (ou mesmo de nada). Neste propósito são as ideias tidas por loucas, as que não encaixam na visão dominante, as que nos surpreendem pela originalidade que podem, de facto, abrir o caminho para as mudanças que todos reconhecem ser necessário empreender”.


Leonel Moura, JdNegócios