quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Interesse Público e Privado


 
Quanto maior for a intersecção entre estas duas esferas, maior é a valorização e o impacto do tema.
Parece simples mas há muito boa gente que anda no mundo da comunicação e se esquece desta questão. Vestir a camisola não pode significar cegueira comunicacional.
 

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

A influência dos sites e blogues junto dos consumidores


 
 
A edição de hoje do Jornal de Negócios tem um bom artigo sobre a crescente importância dos sites e blogues na área da moda (ver aqui). Apesar de não concordar com tudo o que é referido, considero que esta é de facto uma realidade indisfarçável que as marcas devem efetivamente aproveitar.
Contudo terão de ser inteligentes a diversos níveis:
» Escolha dos canais e personalidades;
» Formato da parceria;
» Dinâmica da presença;
» Regularidade;
» Capitalização da exposição para outros canais.
 
 
 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

O caso Pepsi/Ronaldo




 
Tive oportunidade de escrever um breve artigo para a Meios & Publicidade sobre a mais recente polémica Pepsi/Ronaldo. Deixo aqui o link para quem quiser ler.
 
 

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

A indústria das Relações Públicas necessita de mostrar mais confiança (Martin Sorrell)





O Sr. WPP afirmou no Global PR Summit 2013 que apesar do grande potencial das Relações Públicas, estas não atingiram ainda o patamar de outras disciplinas de comunicação. Apesar dos ventos serem favoráveis - crescimento do digital, por exemplo - os profissionais denotam falta de confiança e capacidade para vender a sua atividade.

Por outro lado Martin Sorrell refere também a importância das RP estarem devidamente integradas com outras disciplinas de comunicação.

Considerações bastante acertadas que concordo a cem por cento.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Comunicadores de Excelência

Relações Públicas Sem Croquete ganha um irmão. Já à venda nos locais habituais.
 
Comunicadores de Excelência aborda de uma forma prática e cativante o fascinante mundo da comunicação através de um conjunto enriquecedor de testemunhos de profissionais de algumas das mais importantes organizações em Portugal (CTT, EDP, FNAC, GALP, GENZYME, GRUPO MULTIPESSOAL, IBM, MC DONALD’S, METROPOLITANO DE LISBOA, MONTEPIO, NOVABASE, ROCHE FARMACÊUTICA, SANTANDER TOTTA, SIEMENS, SPORT LISBOA E BENFICA, TAP, UNICER E UNIVERSIDADE DO MINHO).

Inclui ainda a secção «Portugueses no Mundo» com o testemunho de três profissionais de comunicação que ocupam lugares de destaque em empresas no estrangeiro (ENEL – Itália, SPARKPR – Inglaterra e BOSCH – Alemanha).

O prefácio é assinado pelo João Adelino Faria, jornalista da RTP.

O livro conta com o apoio da Associação Portuguesa de Comunicação de Empresa (APCE).

Todos os lucros revertem para os alunos do Instituto Superior Técnico, para o desenvolvimento de um projeto inovador que ajude pessoas comunicacionalmente limitadas.


quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Papa Francisco



Há dias foi revelado que o Papa Francisco pretende saber o que pensam os católicos da homossexualidade, uniões de facto ou o uso de contracetivos. O Papa enviou um inquérito às conferências episcopais de todo o mundo para serem distribuídas pelas paróquias e respondidas pelos fiéis. Um inteligente ato de relações públicas que envolve as pessoas e legitima as posições que possam ser tomadas posteriormente pela Igreja.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Hugo Veiga, o "Cristiano Ronaldo" da Publicidade



Com este post pretendo, em primeiro lugar, felicitar este brilhante publicitário português, considerado agora o melhor copywriter do mundo. Um feito incrível.
 
Por outro lado destacar as suas palavras quando refere que as marcas devem questionar todas as regras pré-concebidas e dar liberdade à agência para apresentar uma ideia que resolva o problema do cliente. 
 
É de facto isto mesmo. Hoje em dia as agências devem ter a confiança dos seus clientes para apresentarem ideias e projetos integrados de comunicação de forma a cumprir o seu papel enquanto parceiros de negócio: "problem solvers". 

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Publicidade vs Relações Públicas

Hoje foi para o ar uma campanha de publicidade institucional da Ordem dos Farmacêuticos. Também hoje esta instituição respondeu através de um comunicado de imprensa à Ordem dos Médicos, numa polémica iniciada na semana passada. Digam-me lá o que tem mais impacto.
 
 



 


terça-feira, 10 de setembro de 2013

Autárquicas e a (não) cobertura televisiva




A interpretação que a Comissão Nacional de Eleições (CNE) faz da lei referindo que todas as candidaturas, independentemente da sua dimensão ou influência, tenham igual tratamento por parte dos órgãos de comunicação social é completamente descabida. Os canais televisivos já anunciaram que desta forma não irão fazer a tradicional cobertura das ações de campanha por não terem meios e pelos critérios editoriais inerentes à sua atividade profissional.
 
Esta posição da CNE revela-se uma contrariedade para as equipas de comunicação das candidaturas mas, por outro lado, um desafio, pois existem muitas outras formas de chegar aos eleitores de forma relevante e eficaz.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Absolut(amente genial)


Muito mais do que design. Um trabalho magnífico da Absolut que valoriza o seu capital de marca e respeita todo o seu ADN. Mais palavras para quê?!!!
Garrafas que irão certamente emocionar e apaixonar multidões.  
 
 
 
 

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Forma criativa para encontrar emprego


Este jovem inglês investiu as suas últimas poupanças num outdoor para encontrar emprego. Resultado: mais de 250 contactos de empresas, 60 entrevistas e emprego garantido. 
 
Podem consultar aqui o seu website e ver o vídeo CV ou todo o buzz gerado em torno do projeto.
 
Seria interessante que as empresas que comercializam os espaços de comunicação exterior (JCDecaux, Cemusa,...) ajudassem alguns dos nossos desempregados num projeto semelhante. A publicidade ganharia maior relevância e pertinência! Fica a dica gratuita :-) 



terça-feira, 30 de julho de 2013

Comunicação criativa e responsável


Fonte: Exame Brasil

A cerveja austríaca Stiegl desenvolveu uma campanha criativa e socialmente responsável. Basicamente a marca trocou o rótulo da bebida por um passe que dava acesso ao transporte público. O projeto foi um contributo para a redução da sinistralidade na cidade de Salzburg.
 

domingo, 30 de junho de 2013

O Facebook está a autodestruir-se

 
O responsável comercial do Facebook em Portugal referiu na semana passada que «a maioria das empresas acha que estar no Facebook é ter a agência de comunicação a colocar posts. O que não sabem é que é preciso pagar para se ter a certeza que se chega às pessoas» (in Diário Económico).
Se a partir de agora o foco dos responsáveis pelo Facebook for exclusivamente o aumento das receitas publicitárias, prevejo uma queda abrupta e irrecuperável da sua importância junto das pessoas. Aliás, já existem alguns dados que comprovam isto mesmo. Os conteúdos terão de ser sempre a prioridade de qualquer plataforma social, caso contrário tornam-se simplesmente vazias e perdem a razão da sua existência. Além disso chegar às pessoas não é suficiente. O importante é ter relevância junto destas para ganhar notoriedade e influenciar decisões.
A pressão da entrada em bolsa, há mais de um ano, e a constante desvalorização das suas ações tem levado o Facebook a apostar em múltiplos formatos publicitários que a tornam menos apelativa para os seus utilizadores. Compreende-se que terão de existir receitas para que possa subsistir mas nunca poderá ser a todo o custo ou de qualquer forma.
A gestão da carga publicitária numa rede social é algo muito sensível e delicado. O excesso de intrusão ou um desequilíbrio acentuado entre conteúdos e publicidade leva rapidamente ao desaparecimento dos seus utilizadores. E quando assim é, estará logo à espreita uma outra rede social mais recente, sexy e apelativa entretanto surgida.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Associação Portuguesa de Bancos



O Diário Económico refere hoje (ler aqui) que a Agência Portuguesa de Bancos (APB) equaciona contratar uma agência de comunicação. No entanto, e para meu espanto, a ideia não mereceu a total recetividade dos responsáveis de comunicação dos principais bancos. Será que não entendem que para além da comunicação comercial de cada banco é benéfico que a entidade que representa o setor tenha igualmente um parceiro e uma estratégia de comunicação que defenda os interesses dos seus associados.


quinta-feira, 6 de junho de 2013

Comunicação Sindical




Apesar de vivermos um momento propício à afirmação e desenvolvimento da atividade sindical, considero que estas organizações não estão a conseguir fazer passar a sua mensagem. São vários os problemas que identifico à partida:
 
» A baixa taxa de sindicalização dos jovens;
» O conservadorismo das suas ações;
» O tipo de discurso utilizado;
» O extremismo de algumas posições públicas;
» Falta de propostas construtivas;
» Pouca exploração dos canais digitais;
» O excesso da partidarização da atividade sindical;  
» Demasiados sindicatos e pouco fortes.
 
Por isso, diria que essencialmente os sindicatos necessitam hoje de uma maior frescura, no discurso e nas posições tomadas, e demonstrar que são efetivamente relevantes para a sociedade portuguesa, nomeadamente ao nível dos resultados das suas ações e propostas apresentadas. Caso contrário o envolvimento com os portugueses ficará, irremediavelmente, comprometido e o distanciamento será cada vez maior.  
 

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Boa iniciativa do Secretário de Estado do Turismo




Confesso que tenho apreciado algumas das iniciativas do Secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes. A última - aqui via Dinheiro Vivo - dá conta do batismo de mergulho que fez para promover esta área que segundo alguns estudos pode valer 17 milhões de euros de receita anual ao Algarve e combater a sazonalidade.
 
Este foi um bom arranque para uma promoção internacional indispensável que espero seja igualmente criativa e surpreendente como este primeiro momento.
 
 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Gaspar e infantilidades



Os elementos do Governo devem, principalmente em momentos difíceis e conturbados como este, preocupar-se exclusivamente em governar. As restantes atividades públicas devem ser geridas com imenso rigor para que estejam sempre em consonância com as responsabilidades governativas. Se não têm capacidade ou lucidez para esta gestão devem aconselhar-se com o seu staff. Se mesmo assim são cometidos erros como este, então algo está errado e a incompetência reina de forma séria e profunda no Governo. Não é necessário ser nenhum génio para antecipar o desfecho ocorrido. São erros infantis que prejudicam desnecessariamente a já frágil e desgastada imagem pública do Governo.  

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Imagens de Campanha


 
Depois do sucesso de 2009, Rodrigo Saraiva e companhia voltam à carga com o blogue Imagens de Campanha. Espero que continuem com o registo informal e divertido, pois certamente que existirão por aí muitas pérolas comunicacionais para analisar. Recomendo! 

sexta-feira, 19 de abril de 2013

O poder dos conteúdos




Mais uma demonstração de que a publicidade tradicional resulta cada vez menos, independentemente do suporte de comunicação. Sem dúvida um bom tónico de motivação e energia para todos os produtores de conteúdos e profissionais de relações públicas.

Fonte: Meios e Publicidade

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Ministério Público investe em comunicação





A pergunta que coloco é: Porquê só agora?


"No final de um debate ontem à noite em Coimbra, Joana Marques Vidal anunciou a intenção de tornar mais transparente a atividade do Ministério Público. Joana Marques Vidal defende defende que o órgão que coordena a investigação criminal deve prestar contas com frequência. 

A Procuradora explicou que a ideia é dar a conhecer o que faz o Ministério Público e, para melhor informar a opinião pública, será criado um gabinete «que permita que, relativamente a processos concretos, se elabore uma maneira mais proativa dos comunicados respetivos, mas que, em si mesmo, também seja um gabinete que permita dar reposta a preguntas dos jornalistas e do público».


Fonte: TSF 

Ver toda a notícia aqui

domingo, 14 de abril de 2013

Pós-Graduação em Imagem, Protocolo e Organização de Eventos (ISLA)


Estão já abertas as inscrições para a 22ª edição da Pós-Graduação em Imagem, Protocolo e Organização de Eventos, no ISLA Campus Lisboa, que começa no próximo mês de outubro.

Mais informações aqui

Nota: integro o corpo docente

terça-feira, 9 de abril de 2013

(In)Seguro na Comunicação



Às vezes ainda fico incrédulo com o amadorismo do nível de comunicação de certos políticos. Resposta inacreditável para alguém que ambiciona ser primeiro-ministro.

           

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O caso CP e a remuneração em função dos resultados. Sim ou não?




Esta semana muito se tem escrito e falado sobre este polémico concurso da CP em que, de acordo com a APAP, prevê que os criativos da agência vencedora recebam cerca de 4,85€/hora. Tal valor terá levado à renúncia das 13 empresas inscritas no concurso.
 
De acordo com a diretora de marketing da CP, numa carta enviada à Meios & Publicidade, “o valor proposto tem em conta duas componentes: uma fixa (que representa 56% do total contratualizado) e uma variável (que pode representar até 44% do valor total do contrato).  A APAP apenas considera a componente fixa não fazendo qualquer consideração nem entrando em linha de conta com o preço base deste contrato”, conclui a responsável da CP.
 
Posto isto, e se de facto existe uma remuneração variável - quero acreditar em função dos resultados obtidos – confesso que não fico assim tão chocado com o concurso. Já vi coisas bem piores, com dumpings muito mais gritantes.
 
Há muito que defendo a partilha de risco entre cliente – agência, onde para além de uma remuneração base que cubra os custos mínimos do trabalho da prestadora do serviço deverá existir uma remuneração variável composta por diversos patamares de objetivos. Sei que a esmagadora maioria das agências foge a este modelo, pois é mais exigente, assim como, e curiosamente, alguns clientes avessos ao risco que prefere saber a conta a pagar logo de início, independentemente de serem bem ou mal servidos.
 
Sabemos bem que na Comunicação não é fácil nem imediato avaliar e quantificar os resultados do nosso trabalho. Apesar de não existir um modelo perfeito, é possível. Tanto assim é que na Guess What temos vindo a testar um novo serviço na área do Marketing Viral, cuja inovação e diferenciação é precisamente a forma como somos remunerados, sempre em função dos resultados obtidos a diversos níveis: número de visualizações YouTube, shares Facebook, contactos gerados com a marca ou empresa, entre outros indicadores.
 
No meu modelo de equidade e meritocracia, todos devemos trabalhar e estar orientados para o cumprimento de objetivos claros e exequíveis mas também exigentes. A nossa performance ditará a dimensão dos prémios e regalias a obter. Só assim, na minha opinião, é possível distinguir quem efetivamente trabalha e merece, contribuindo para o crescimento e evolução da pessoa, empresa e setor onde atua. 


domingo, 27 de janeiro de 2013

Lance Armstrong



Não tinha ainda abordado a tão badalada entrevista de Lance Armstrong a Oprah Winfrey. Não por falta de interesse para este espaço, mas somente por inexistência de tempo da minha parte. Uma vez que recebi nos últimos dias um email de uma leitora a solicitar a minha humilde análise a este assunto, deixo aqui o que penso do ponto de vista de comunicação e imagem.
 
Se antes da entrevista do ex-ciclista existia uma nuvem carregada de incertezas sobre o mérito desportivo das suas vitórias, todas as dúvidas se dissiparam com esta confissão. Armstrong construiu uma carreira e uma história que entusiasmou os media e as pessoas. Soube usar a seu favor o problema de cancro que teve, vencendo-o sempre com grande acompanhamento mediático e cuja inteligência, sua e dos seus (muitos) conselheiros, o levou a criar uma Fundação com o seu nome para ajudar pessoas com a mesma doença. Lance Armstrong soube assim aproveitar as suas vitórias na estrada para ganhar noutros percursos extradesportivos que lhe proporcionaram reconhecimento à escala global e dinheiro, muito dinheiro.  
 
Com o surgimento das primeiras notícias sobre a utilização de doping, a imagem e reputação de Lance Armstrong começou a ficar afetada, até ficar completamente demolida com a entrevista a Oprah Winfrey. Na minha opinião, o ex-atleta aceitou confessar agora publicamente todas as suspeitas que recaíam há vários anos sobre ele, apenas para aliviar o peso das múltiplas acusações na sua consciência e por já ter percebido que estava num beco sem saída. Não acredito que Armstrong, como homem inteligente que é, aceitasse dar esta entrevista pensando que o ajudaria a fazer reset à sua imagem para conseguir erguê-la a partir deste dia.
 
Mas será que Armstrong tomou a atitude certa?
Sim, mas somente porque defendo sempre a verdade e transparência. Do ponto do vista de comunicação e reputação da sua imagem, este episódio foi um desastre. Também não poderia ser muito diferente com o teor do conteúdo e revelações feitas. Na minha opinião, Armstrong jamais conseguirá recuperar o brilhantismo e respeitabilidade pública de outros tempos. Ele enganou tudo e todos durante muito tempo e não tem mais forma de mostrar que poderia não ser um fora de série mas também não seria somente uma fraude. A sua carreira desportiva terminou, restando-lhe agora apenas resolver todos os processos judiciais onde está implicado. Nada mais de positivo espera Armstrong e a história termina aqui.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Campanha Samsung – Bloggers Moda




O que pretendia ser uma ação (ver aqui) de comunicação digital de sucesso, tornou-se rapidamente num pesadelo para a marca promotora, neste caso a Samsung. Embora a ideia fosse razoável e os objetivos percetíveis – aproximação a um target jovem e trendy – a implementação foi desastrosa devido ao perfil e discurso dos bloggers, o próprio ambiente das gravações e depois o timing de divulgação dos vídeos.
 
Apesar da marca se justificar dizendo que pretendeu dar a conhecer “uma faceta diferente dos bloggers, entrando em sua casa e observando-os num ambiente intimista e pessoal” e que a “tecnologia permite melhorar a vida das pessoas, inspirando o seu dia-a-dia e oferecendo momentos únicos e inesquecíveis”, a verdade é que tudo soa a fútil, falso e descabido para o atual momento dos portugueses.
 
As marcas devem perceber que as pessoas estão hoje em dia mais sensíveis e menos tolerantes do que nunca, dadas todas as dificuldades que enfrentam. Contudo, isto não significa que as ações e os discursos comerciais terão de ir neste sentido negativo e pessimista que assola infelizmente a nossa sociedade. Antes pelo contrário. As marcas têm aqui uma excelente oportunidade para inspirar e “puxar para cima” com humor, irreverência e, principalmente, bastante inteligência.
 
Por outro lado, não basta envolver um conjunto de bloggers, supostamente com notoriedade pública, que as marcas vão aproximar-se das pessoas e começar a "vender que nem pipocas". Para atingir o tão almejado buzz e passa a palavra, mais do que os atores envolvidos, é fundamental existir verdade, coerência e realismo no discurso. Caso contrário tudo será em vão.
 
Nota adicional: os mesmos bloggers tiveram recentemente outra participação comercial onde aparecem com equipamentos cujas marcas são concorrentes da Samsung. Ver aqui

 

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

A minha receita




Para o novo ano que arranca agora a minha receita é a mesma de sempre: trabalho e determinação. Tudo o resto surge naturalmente.
 
Deixo ainda uma nota de esperança para todos os profissionais que neste momento estão sem emprego ou com emprego mas com salários em atraso. Sei, infelizmente, que são muitos os casos.