quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Campanha Samsung – Bloggers Moda




O que pretendia ser uma ação (ver aqui) de comunicação digital de sucesso, tornou-se rapidamente num pesadelo para a marca promotora, neste caso a Samsung. Embora a ideia fosse razoável e os objetivos percetíveis – aproximação a um target jovem e trendy – a implementação foi desastrosa devido ao perfil e discurso dos bloggers, o próprio ambiente das gravações e depois o timing de divulgação dos vídeos.
 
Apesar da marca se justificar dizendo que pretendeu dar a conhecer “uma faceta diferente dos bloggers, entrando em sua casa e observando-os num ambiente intimista e pessoal” e que a “tecnologia permite melhorar a vida das pessoas, inspirando o seu dia-a-dia e oferecendo momentos únicos e inesquecíveis”, a verdade é que tudo soa a fútil, falso e descabido para o atual momento dos portugueses.
 
As marcas devem perceber que as pessoas estão hoje em dia mais sensíveis e menos tolerantes do que nunca, dadas todas as dificuldades que enfrentam. Contudo, isto não significa que as ações e os discursos comerciais terão de ir neste sentido negativo e pessimista que assola infelizmente a nossa sociedade. Antes pelo contrário. As marcas têm aqui uma excelente oportunidade para inspirar e “puxar para cima” com humor, irreverência e, principalmente, bastante inteligência.
 
Por outro lado, não basta envolver um conjunto de bloggers, supostamente com notoriedade pública, que as marcas vão aproximar-se das pessoas e começar a "vender que nem pipocas". Para atingir o tão almejado buzz e passa a palavra, mais do que os atores envolvidos, é fundamental existir verdade, coerência e realismo no discurso. Caso contrário tudo será em vão.
 
Nota adicional: os mesmos bloggers tiveram recentemente outra participação comercial onde aparecem com equipamentos cujas marcas são concorrentes da Samsung. Ver aqui

 

2 comentários:

RA disse...

A telecel com o "'tou sim, é pra mim?" não foi à procura de um pastor para o fazer o anúncio, mas sim de um ator.
Esta "menina", apesar de poder ser muito boa naquilo que faz, não tem oralidade nem a presença necessárias para um anúncio persuasivo.
Aliás, a mala Chanel fica-lhe a matar (ponto)

Ricardo Norton disse...

"Por outro lado, não basta envolver um conjunto de bloggers, supostamente com notoriedade pública, que as marcas vão aproximar-se das pessoas e começar a "vender que nem pipocas"."

Um bom post, boa análise e uma excelente ideia, retida nessa frase. Cumprimentos.