segunda-feira, 31 de julho de 2006

A importância de falar bem em público

É essencial um técnico de comunicação saber falar em público. Muitas vezes isso é um autêntico terror para os profissionais. O medo de falhar e o nervosismo constante pode tornar uma palestra um verdadeiro massacre para a audiência. Por vezes, o discurso tão fluído e entusiástico por parte do orador pode levar-nos a pensar que tudo é inato. No entanto, raramente isso é assim, havendo por detrás uma grande preparação.

Seja para uma entrevista, uma apresentação ou uma reunião, o discurso além de coerente, deve ser claro, com frases simples e directas, com adjectivos e até com a utilização de analogias ou exemplos para ilustrar ideias ou conceitos. Dado o discurso oral ser bastante diferente do escrito, é crucial adaptar o texto escrito ao formato oral. São de evitar frases pomposas, linguagem pouco própria e demasiados detalhes, de forma a ficar tudo claro na mente do receptor.

Um outro ponto importante para uma boa performance é a definição do público. O orador deve procurar saber qual o número de pessoas da assistência, a idade média desse grupo, a proporção masculina versus feminina, perfil cultural, grau de conhecimento do público relativamente ao tema apresentado, bem como se existem ideias preconcebidas sobre o assunto.

No caso de ser um grupo pequeno, e se opte por uma apresentação informal, é essencial interagir com o público, para que se “quebre o gelo” e permita que as pessoas intervenham nos temas abordados. Por outro lado, se a opção for uma apresentação formal, é essencial que se estabeleça um contacto visual com todos os elementos para ajudar a prender a atenção de todos.

No caso de apresentações para grupos com mais de quinze elementos, é fundamental assegurar que o som chegue a todos em boas condições. Dada a audiência ser maior, o discurso deve ser articulado de forma clara evitando entrar em grande pormenores.

Relativamente à aparência do orador, a primeira impressão é fulcral para o interesse e atenção do público. As roupas, o modo de andar e a forma como está de pé são importantes para a avaliação que o público faz de imediato à pessoa. A indumentária deve ser adaptada consoante o tipo de acção (reunião ou apresentação), público, estação, etc.

Por último, outro factor igualmente importante é a postura utilizada pelo orador, isto porque quase dois terços da comunicação entre as pessoas é não-verbal. Gestos, expressões faciais e outras formas de linguagem corporal têm assim uma importância acrescida. A postura deve condizer com o discurso do momento. Não faz sentido gestos bruscos em temas sérios, pois causam na audiência confusão e distracção. São de evitar falar com as mãos nos bolsos ou braços cruzados, já que, segundo os especialistas, transmitem insegurança. Virar as costas ao público para apontar algo, perturba o discurso e tapa a visão. Por outro lado, posturas relaxadas como cruzar as pernas, expressam falta de profissionalismo e falta de autoridade.

É essencial para um bom profissional de relações públicas a adopção de uma postura confiante, de forma a demonstrar que domina o assunto, criando assim autoridade e credibilidade. Este tipo de comportamento contribui ainda para a criação de empatia com o público, cativando-o para a apresentação em causa.

5 comentários:

Sem Nome disse...

Parece que é de propósito, mas tenho visto desde a semana passada uns cartazes A4 colados na rua de cursos de como falar bem em público.

http://www.nova-acropole.pt/curso_falar_publico.htm

Não me lembro se era esta a instituição, mas acho que sim que era.

Os parêmetro que abordam este curso é um resumo de tudo o que tu aqui falaste.

Squeezy disse...

Sou aluno de Relações Públicas e este é um tema com o qual os professores insistem bastante. Mas uma boa fatia de todos os alunos que saem formados, não sabem falar em público. Pois se nem a apresentação de um trabalho por vezes conseguem qto mais falar em público.

Apesar de a arte de falar em público poder ser "trabalhada", e melhorada, penso tb não há que esquecer que por vezes é apenas e só um aptência de alguns.

turma de comunicacao disse...

somos alunas do curso de comunicacao relações publicas, marketing e publicidade do 11 ano.
podemos afirmar que estamos no segundo ano do curso e ainda nao sabemos o que e um R.P.
porque temos uma professora/formadora que tirou o curso na "farinha amparo".gostariamos que publicassem um artigo sobre o que e realmente um R.P. por favor nao tirem o croquetes!!!!!

Anónimo disse...

Looking for information and found it at this great site... » » »

Sylvia disse...

Sou aluna do Curso de Comunicação Social Habilitação em Relações Públicas da Univeridade Estadual de Lodrina - Brasil -
Esta é a primeira vez que entro neste blogger e fico muito feliz em saber que podemos contar com artigos importantes como este.
Aqui na nossa universidade a parte de oralidade é muito bem trabalhada, tentamos desenvolver ao máximo como falar e como se comportar bem perante ao público.
Vou indicar este site aos meus colegas.
Parabéns!