terça-feira, 9 de setembro de 2008

Imagem: O bom e o mau


Ontem fui surpreendido por um telefonema da ourivesaria onde comprei as minhas alianças de casamento. A razão era felicitar a minha mulher pelo seu aniversário. Foi um gesto simpático e louvável pois trata-se de uma pequena loja de bairro, que revela uma forte preocupação em criar uma relação com os seus clientes.

Por outro lado, o Barclays Bank, essa suposta prestigiada instituição bancária internacional, contactou-me, nos últimos tempos, por diversas vezes para me vender um dos seus serviços maravilhosos. Uma chamada não tem mal. Devemos respeitar e delicadamente responder não, se for caso disso, obviamente. No entanto, se esses telefonemas se repetirem vezes sem conta, dia após dia, onde dizemos que não estamos interessados e mesmo assim nos contactam persistentemente, é de facto lamentável e transmitem uma péssima imagem da empresa. Não da sua, pois este tipo de serviço é quase sempre feito por empresas subcontratadas que anonimamente nos ligam. O problema neste caso será para o Barclays que não controlou o processo e que não só deixou de ganhar um cliente (eu), como irá partilhar esta triste história com um sem número de pessoas como estou fazendo aqui.

É caso para se dizer que a dimensão das empresas reflecte pouca coisa e que existem processos que devem ser controlados rigorosamente sob pena de serem fortemente penalizadores para as empresas a médio/longo prazo.

5 comentários:

Ocappuccino disse...

O pior é o que ta acontecendo comigo, semanalmente eu sou contatado por uma empresa telefônica, a qual eu já sou cliente, e eles me oferecem o serviço de telefonia toda vez eu informo que já sou cliente deles, mesmo assim tornam a me ligar, já se repetiu umas 8 vezes a mesma ligação, um tanto esquizofrenia essa atitude deles, me passam uma imagem de serem completamente atrapalhados. Parabéns pelo seu blog, muito bom, acompanho sempre, Massimino equipe OCappuccino

Anónimo disse...

Boa tarde,

Li com algum espanto este texto que fala do Barclays.
Sou operadora nessa instituição e temos como "regra" não contactar os clientes quando dizem que "não querem o serviço x ou y". Daqui passa a minha pergunta: é cliente do Barclays Bank ou quem lhe ligou foi da BarclayCard que dizem que fazem parte do Barclays Bank? (além de fazerem parte do mesmo grupo financeiro são instituições diferentes).

Caso seja cliente Barclays Bank ao ser contactado, pode sempre dizer que não quer ser contactado por nós que enviamos um contacto ao seu gestor de conta com essa informação.

De resto, e como aluna do INP que fui, gosto bem mais de RP sem croquete ;)

MC

Renato Póvoas disse...

Boa tarde,
Não sou cliente do Barclays Bank e supostamente foi daqui que me ligaram. Pelo menos foi assim que se identificaram nos sucessivos contactos. O objectivo pelo que eu percebi era conquistar um novo cliente. Sempre que eu solicitava para não voltarem a ligar, pediam-me imensa desculpa mas tal voltava a acontecer. Passado uns dias ainda enviei um email para o V. Provedor, no entanto não obtive qualquer resposta. No mínimo, lamentável.

Anónimo disse...

Aí está Renato,

A BarclayCard telefona aos clientes dizendo que fazem parte do Barclays Bank, o que muitas vezes leva as pessoas a aderirem com sucesso a estes cartões de crédito.

É realmente lamentável, mas terá de efectuar essa reclamação para a BarclayCard, visando essa situação porque do Barclays.

Em tom de brincadeira pode sempre entrar numa agência mais perto de si! =)

MC

Carlos Medina Ribeiro disse...

Continuo, também, a receber chamadas dessas pessoas.
Apesar de dizer que não posso atender nesse momento, insistem!
Depois, digo que não estou interessado, e continuam a insistir!
A solução é desligar.

Mas há pior:
Da penúltima vez, interrompi a conversa para perguntar onde tinham obtido o meu n.º de TM.
Resposta: «Numa base de dados... de leilões!».
Disse-lhes o que pensava desse procedimento, e desliguei logo.
Uma vergonha.