quinta-feira, 26 de julho de 2007

Curioso Anúncio

Reparem com atenção neste anúncio colocado no site Carga de Trabalhos:

comunicação empresarial (estágio)
Produtora de conteúdos, com departamento de Comunicação Empresarial, oferece oportunidade de estágio
Duração: 4 meses
Início: 03/09/2007
Local: Lisboa
Empresa: Companhia de Ideias (www.companhiadeideias.com; site incompleto, em remodelação)
Condições: Não remunerado; full-time
Subsídio: de refeição e deslocação no valor de €125/mês
Exige-se: formação superior em Comunicação – vertente Comunicação Empresarial;
disponibilidade total; residência na Grande Lisboa
Objectivos: integrar uma equipa e participar activamente na execução de
planos de comunicação para clientes da Companhia de Ideias
Coordenação estágio: Direcção de Comunicação da Companhia de Ideias
Características candidata: idade inferior a 27 anos; boa capacidade de escrita; bons conhecimentos de informática na óptica do utilizador (nomeadamente pesquisa Web); capacidade para trabalhar sob stress e obedecer a ordens; grande sentido de responsabilidade
Enviar CV para
recrutamento@companhiadeideias.com
NÃO RESPONDER SE NÃO PREENCHER TODOS OS REQUISITOS

O que há de anormal??? Certamente já descobriram. Para os mais distraídos: “Obedecer a ordens”. É de facto, no mínimo estranho, surgir um requisito desta natureza numa oferta de trabalho. Capacidade de trabalhar sob stress... ok, é normal! Agora, "obedecer a ordens", é de facto demais. Onde paira a liberdade de pensamento, crítica e acção nesta empresa?!! Talvez tenha ficado à porta!

10 comentários:

Squeezy disse...

O que me parece é que é o tipico trabalho de estagioario. Ou seja como se diz na giria academica "fazer o que os outros nao querem ou nao lhes apetece fazer"....neste caso tem de se fazer sem questionar...lol

Cuca disse...

Fantástico! Não procuram colaboradores... procuram lacaios!!!

Anónimo disse...

O que me parece fantástico é que não esteja sublinhado como um ponto negativo a subvalorização do trabalho do estagiário. Atenção: claramente se nota que não se procura alguém para tirar fotocópias, os requisitos são mais do que muitos, desde a licenciatura às competências, mas o pagamento? É zero!

Estou nesta área há algum tempo e continua a ser de muito difícil digestão o facto das empresas continuarem a explorar as pessoas com a desculpa de as estarem a formar. A verdade é que as estão a formar para seu próprio proveito, a verdade é que ao solicitarem estagiários para trabalharem planos de comunicação sabem que vão conseguir obter ideias frescas, novas, fruto de uma não-institucionalização do mesmo. 125 euros para ajudas? Por favor, entre passes sociais ou gasolina, almoços e, muitas vezes, roupa que se compra para se estar mais apresentável, esses 125 euros são uma simples esmola.

Mas friso, a culpa é de todos nós: os que são e os que já foram estagiários, que implementaram a cultura do "quero é trabalhar", nem que tenha que pagar para isso. A culpa está também ao nível legislativo, porque não é fácil recusar um trabalho quando não se tem nada, nem um CV que apresente experiência. Pelo que os jovens licenciados, bacharéis e outros tais, deviam estar mais protegidos pelos governantes, impondo limites ao chamado trabalho de estagiário. Se querem alguém para trabalhar em Planos de Comunicação então não lhe chamem estagiário, ou melhor, chamem o que quiserem, mas compensem o trabalho de forma justa.

Um abraço!

nanokas disse...

E eu que concorri a esse estágio? Fui lá sim sra e estes 125€ de esmola ainda eram... a RECIBOS VERDES!!!! Em desespero de causa de uma recém-lincenciada qd ouve "recibos verdes" é como o diabo que foge da cruz. Foi o que fiz. Devo ter feito uma cara tão estranha, que alguns dias depois ligaram-me a medo a dizer que não tinha ficado... Espero que eles não tenham ficado muito chateados quando fiz uma festa ao telefone... eheheh
não sei porquê mas.... passado 2 min ligou-me outra pessoa da mesma empresa a dizer exactamente o mesmo.
Infelizmente com 24 anos que tenho vejo que é o mundinho de mercado de trabalho que temos...
Numa destas não caio mais =)

Cumprimentos

Té disse...

Nunca respondi a um anúncio de estágio não remunerado, não sou escrava, não foi para isso que estudei!!Já para não falar que não quero contribuir para o ciclo vicioso que são os estágios não remunerados, se não é o Estado a impôr leis para que esta exploração acabe, ao menos que parta dos futuros estagiários.
Outra, se nunca respondi a um estágio não remunerado, também não seria desta que responderia a um estágio em que tenho que ser um autêntico cão...ainda corria o risco de ter que ir buscar o jornal e as pantufas!!

jd disse...

Caro Renato, não me parece chocante "obedecer a ordens"; as empresas, por mais cool e flats que sejam, têm sempre uma hierarquia. Haver regras (ordens) não significa deixar de lado a criatividade. Aliás, é mais fácil os talentos desenvolverem-se em ambientes organizados.

Anónimo disse...

Ainda mais triste é saber que estas empresas vivem durante anos à custa destes estagiários. Eu estagiei nesta empresa há coisa de cinco anos atrás, exactamente com as mesmas condições que se oferecem agora em 2007... 125€ de ajudas.
Não me arrependo de lá ter estagiado em troco de quase nada. Aprendi (aprende-se sempre qualquer coisas em todos os sítios por onde passamos) e serviu para por no cv "experiência em", o que, por sua vez, serviu para arranjar um outro emprego (com direito a ordenado, imagine-se!) Infelizmente o mercado de trabalho da Comunicação (e de outras tantas áreas!) obedece ao conhecido cilco: queremos pessoas com experiência. ok! mas se não houver quem dê uma primeira oportunidade como é que se consegue essa experiência!? A única solução é começar uma carreira com trabalho "escravo"? Parece-me cada vez mais que sim! Infelizmente...
E como esta empresa há tantas outras assim ou piores. Esta pelo menos é bastante honesta naquilo que tem para oferecer. Outras há quem nem isso conseguem ser: Honestas! E eu conheço algumas...

Anónimo disse...

(o que eu leio é: "procuramos totós que não tenham onde cair mortos e gostem de um chefe malcriado e rude, que tenham pais porreiros que paguem para eles trabalharem, que sejam uns miúdos mas que trabalhem como homenzinhos de sol a sol, e que dêem muito dinheirinho a ganhar sem ver um chavo disso." Isto não tem graça.
1º os recibos verdes não servem, por princípio, para escravizar, mas é para isso que estão a ser usados. (Aqui o próprio Estado dá o mau exemplo) O estágio também não é suposto ser trabalho precário, mas é assim que é encarado. o que acontece, na realidade é que se entra numa empresa a achar que muito esforço e dedicação acabarão por nos dar uma oportunidade. não, não é nada disso: findo o "estágio" é hora de sair e entrar outro estagiário. querem experiência e etc e etc e etc, paguem. isso tem preço. concordo ainda quando alguém disse que a culpa também é de quem aceita. percebo a dificuldade de um recém-licenciado em ganhar experiência, mas o preço que se paga há anos com esta subserviência é muito alto e devastador se nos lembrarmos que afecta uma geração inteira: chegar aos 30 e não ter amealhado nada, depender dos pais quando já não se é um miúdo, nunca ter tido um contrato de trabalho nem saber o que é subsídio de férias e de natal, não poder constituir família nem sequer pedir um empréstimo.
Mas o que aprendemos depois de responder a muitos anúncios de emprego é que a estes anúncios não se responde! lendo nas entrelinhas, isto é um sítio de onde toda a gente devia querer fugir! tive a esperança quando li este anúncio que fosse uma piada, de mau gosto, mas infelizmente, não é. ou melhor, a piada é sempre a mesma: gente que se aproveita, explora e se fica a rir. Às gargalhadas!

Anónimo disse...

na chibata! é assim mesmo! (...é assim mesmo que se faz um país de m****!!!!)
quem não ganha, não gasta, não movimenta a economia nacional, não cria riqueza, não faz filhos, nem é empreendedor!
as empresas que "dão ordens", exigem tantos requisitos e não pagam, essas sim deviam ser açoitadas! - já para o tronco!!

Anónimo disse...

Ora mais o mais interessante é que são 'estes' estagiários que pagam porches, prostituas,fatos ermenegildo zegna, férias mensais, drogas, casas na av. de roma e... são pagos com ingratidão, gargalhadas maléficas servidas com má-educação e um pontapé no rabo caso ousem ficar cansados de ser explorados... e isto, porque sempre vão existir estudantes universitários de comunicação social que anseiam por trabalhar em televisão e que desconhecem que trabalhar às vezes quer dizer... não ser escravo. Quem avisa...