quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Caso Jerónimo Martins: Leitura comunicacional



Excelente análise do Alexandre Guerra, no PiaR, sobre a ida da Jerónimo Martins para a Holanda. Ver aqui a sua opinião.

Uma decisão que revela a insensibilidade dos nossos gestores para as áreas da Comunicação e Reputação. Se tivessem esse know-how ou procurassem o aconselhamento junto de profissionais qualificados (internos ou externos) antes de tomarem certas decisões, não assistiríamos a tanta incoerência entre o que se diz e o que se faz.

São episódios como este que justificam a introdução da Comunicação (de forma séria) nos MBA ou cursos de Gestão. 

3 comentários:

t_verde disse...

Dicordo em absoluto. Em primeiro lugar era impossível prever que essa medida iria provocar tanto ruído comunicacional. Segundo parece 18 das 20 sociedades do PSI20 já fizeram a deslocação de Portugal e nunca ouvi tanto alarido.
depois tenho dúvida que esta medida tenha assim um impacto tão negativo junto dos consumidores. Isto é mais coisa para a meia dúzia de pessoas que lê jornais em Portugal se ir entretando. No País real acho que ninguém chegou sequer a perceber a notícia. E finalmente quanto ao mérito da medida em si, esta foi apenas um acto de gestão com vista a criar mais valor aos accionistas. O errado era não o fazer.

cumprimentos a todos e feliz ano novo;-)

Fernando Silvério disse...

Totalmente de acordo com o comentário anterior. Devemos aplaudir as decisões de gestão que produzem valor e retorno, porque, em última instância os colaboradores destas empresas sentem-se motivados pela competência e visão estratégica dos seus empregadores - Fartos estamos nós de Patrões que não sabem gerir empresas e que apenas se preocupam em facturar para mostrar o seu carro topo de gama ao vizinho, arrastando em dívidas as suas pseudo-empresas que acabam por fechar. A Jerónimo Martins e muitas das grandes empresas deste país não precisam de lições de comunicação, o restante tecido empresarial é que precisa, e muito, das lições de empresários como a Família Soares dos Santos e de outros grupos liderados por empresários Portugueses que se preocupam em implementar as melhores práticas de gestão. Mudar a sede fiscal para países mais favoráveis é algo que acontece diariamente e só quem não tem conhecimento (como a maioria daqueles que fala do que não sabe) é que utiliza as Redes Sociais (como passou a ser moda) para gerar polémicas sem qualquer tipo de fundamento. Aliás, a haver polémica nas Redes Sociais deveria ser contra a política fiscal deste país que esteriliza qualquer investidor a gastar um cêntimo que seja, já que este tema é o principal factor de competitividade para atrair investimento (seja estrangeiro ou doméstico). Portanto, a comunicação profissional deve, antes de mais, ser dirigida para quem promove as polémicas e vive à custa delas, e não para quem delas não quer saber.

josé amorim disse...

saberá o croquete que essa paródia da mudança não é de agora, a noticia ocorreu agora, apenas porque a jerónimo martins/ pingo doce, a cavalo do iva aumentou por exemplo, no arroz da sua marca, num quilo que antes custava 54 cts, a módica quantia de 20 cts, provávelmente para pagar os custos da noticia da mudança...